quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

O Ulisses do mercado editorial




Tinha 18 anos quando escreveu o seu primeiro livro, "O Grito de Quem Chora Lágrimas Azuis". A dificuldade em arranjar quem apostasse no projecto, levou a que João Batista fundasse a sua própria editora, a Livros de Ontem, em regime de crowdfunding, que também disponibiliza livros académicos em segunda mão.

Tem apenas 21 anos, mas uma bagagem de quem já enfrentou ondas gigantes, como aquelas de que se fala na Nazaré. João Batista licenciou-se em Ciência Política e Relações Internacionais e especializou-se em Gestão de Marketing, Comunicação e Multimédia. Contudo, o verdadeiro amor deste jovem empreendedor apaixonado “pela História e pelos grandes clássicos da literatura” é a escrita. O início da sua aventura no mundo dos livros “foi pura inspiração que me saiu às golfadas através da caneta. Lembro-me que um dos textos integrantes do livro foi escrito num lenço de papel após ter terminado mais cedo um exame.” Como resultado final nasceu “O Grito de Quem Chora Lágrimas Azuis”, onde se fala sobre arte e literatura e os comportamentos massificados de acordo com as modas do momento.


 

Ao contrário do que se possa pensar, a escrita não esteve sempre presente na vida de João. Aconteceu quase de repente e só quando concluiu a primeira obra é que percebeu que tinha potencial. “Como era tudo muito novo para mim, na altura mostrei os textos à minha mãe que é uma ávida leitora. Só o fiz quando já tinha o intuito de o publicar porque até aí era algo demasiado pessoal.” Feito o livro, era necessário uma editora e esta foi a parte mais decepcionante do processo. “As editoras portuguesas são, na sua maioria, grandes holdings com websites confusos e editores anónimos. É uma tarefa algo complicada submeter originais para avaliação de uma editora. Como se isso já não bastasse, quando de facto consegui enviar o original não recebi nada senão silêncio.” Mediante esta experiência, encontrou uma lacuna no mercado editorial: não há grande espaço para os novos autores, quando o que não falta por aí é gente cheia de talento, mas sem estrelinha da sorte. “Há uma espécie de culto incondicional aos poucos autores que se encontram no topo da cadeia literária e muito pouco espaço para o novo, para o diferente.” A Livros de Ontem surge, assim, como uma alternativa viável e com provas dadas no mercado – com apenas um ano de actividade já foram publicadas três obras, duas das quais em regime de crowdfunding, ou crowdpublishing - termo habitualmente utilizado por João, referindo-se à junção dos termos crowdfunding e publishing. O objectivo é conseguir capital dos próprios leitores para financiar a publicação do livro. “O nosso modelo é sustentável e todos ganham: leitor, autor e editora” – defende.

No momento da criação da editora encontrou logo um obstáculo: “lidar com a péssima organização do mercado editorial. Funciona tudo muito mal e na base dos conhecimentos pessoais.” Mas depressa a parte menos positiva foi ultrapassada: João concorreu à primeira edição do concurso Melhor ideia de negócio FCSH Nova - Santander Totta! e venceu. Tal como venceu o programa The Next Big Idea da SIC Notícias, em seguida. Este reconhecimento do meio empresarial trouxe-lhe “a possibilidade de conhecer directores de grandes empresas portuguesas. Essa experiência foi fundamental para limar algumas arestas ao projecto e chegar onde estamos hoje em dia.” Quase faz lembrar a história de Ulisses e o Gigante, onde os mais pequenos também dão luta e saem vitoriosos. “Pegar no sector editorial, em decadência, e formular um projecto vencedor em concursos de empreendedorismo onde concorrem empresas altamente inovadoras e especializadas é, para mim, um grande motivo de orgulho!”

Paralelamente, a Livros de Ontem funciona ainda como plataforma online de compra e venda de livros académicos. A ideia de João é dar nova vida a obras que já não necessitamos, mas que se encontram em bom estado, disponibilizando-as a preços bastante inferiores aos praticados no mercado livreiro. A expansão da empresa está nos planos de João, bem como a publicação de novos livros em breve e uma nova página de internet. O desejo deste escritor / criativo / editor / empreendedor é simples: “quero que a Livros de Ontem se torne numa editora de referência no panorama editorial português e quero lançar vários novos autores.”



2 comentários:

  1. Muito obrigado à Mónica pela entrevista. É um prazer fazer parte deste blogue e contar um pouquinho do que sou e do que faço para este projecto tão interessante.
    Obrigado pela oportunidade e parabéns pelo blogue! =) Espero que daqui surjam novas conversas também elas interessantes.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada eu, João, por teres aceite o meu convite!
    É sempre um prazer conhecer gente dinâmica, empreendedora, talentosa, como tu!
    Que seja o início de muitas outras conversas, como dizes :)

    ResponderEliminar